Charlotte Gainsbourg para NARS

Charlotte Gainsburg para NARS | Summer 2017

Talvez maquiagem não seja a primeira coisa que passe pela sua cabeça quando você ouve o nome da Charlotte Gainsbourg ~ e é por isso mesmo que o convite do François Nars para a atriz tem algo de transgressor e genial. A ideia da coleção é atender o desejo de 9 entre 10 apaixonados por maquiagem: parecer natural, sem muito esforço. Mais ou menos como o estilo da própria Charlotte: naturalmente chic, autêntico e bem francês.

Seguidora do mantra de beleza “menos é mais”, Gainsbourg desenvolveu a linha a partir da sua própria rotina de beleza. Alguns dos destaques da linha:

Charlotte Gainsburg para NARS | Summer 2017 - Lip Tint

Lip Tint – Brilho Labial | R$136,00 na Sephora

Um toque de tinta para os lábios. Pelo que eu andei lendo, é uma espécie de gloss (não grudento, dizem) com uma corzinha discreta de fundo, que permanece nos lábios mesmo depois que o glow inicial desaparece. Efeito de “lábios mordidos”, de acordo com a marca ~ ou aquele arzinhos saudável que a gente almeja sempre. Disponível em duas cores aqui no Brasil: Éphélide (Rosa Antigo) e Promise (Ameixa Vermelha). Parece que a terceira cor, Double Decker (essa mais vermelha do meio), não chegou por aqui.

Charlotte Gainsburg para NARS | Summer 2017 - Hydrating Glow Tint

Hydrating Glow Tint – Base | Indisponível na Sephora

Base com textura gel-creme leve e refrescante, que desperta a pele sem viço para um visual natural, saudável e luminoso. O produto é translúcido e constrói camadas que igualam e uniformizam o tom da pele. Parece um milagre ~ e deve ser mesmo, já que ele é o campeão de pedidos para permanecer no catálogo da marca. Não deu nem para experimentar por aqui, porque ele sumiu da Sephora assim que chegou. Mas, como uma apreciadora de coberturas ultra-leves (e sem óleo) em bases, imagino que seja incrível. Alguém já experimentou para me contar?

Disponível em quatro tons lá fora: Fair, Light, Medium e Medium-Dark – mas, aqui no Brasil, só chegou o Fair. ¯\_(ツ)_/¯

Charlotte Gainsburg para NARS | Summer 2017 - Au Poil Brush Roll

Au Poil Brush Roll – Kit de Pincéis | R$799,00 na Sephora

Kit com pincéis full-size: Eye Blending Brush, Concealer Brush, Eyeshadow Brush, Face Highlighting e Face Brush. Os cabos são personalizados, todos com acabamento marmorizado e o estojo é de couro sintético. Lindíssimo. Achei o kit ideal para quem não é muito habilidoso (ou não tem muita paciência) com milhares de pincéis, cada um com uma função mais mirabolante que o outro. Tipo eu. Se eu fosse milionária, claro. ;)

Charlotte Gainsburg para NARS | Summer 2017 - François Nars e Charlotte Gainsburg

François Nars & Charlotte Gainsbourg

A coleção tem ainda o Multiple Tint, blush icônico da marca em uma versão translúcida e matizada, que pode ser usado nos lábios e bochechas; duas opções de cores (bem lindas) do Velvet Duo Eyeshadow e duas cores mais ousadas do delineador KohlinerCours Du Soir (verde musgo intenso) e Nuit D’Encre (azul marinho intenso).

Apesar de não ter sido nada transcendental, essa foi uma das poucas coleções recentes de maquiagem que me deixaram curiosa para ver de perto e experimentar (mais alguém aí com a sensação de que as marcas andam repetitivas DEMAIS nos lançamentos?).

O que vocês acharam dessa coleção?
Curtem a NARS?

∴ info ∴
NARS website & instagram.

|

A arte da Leah Bartholomew

Leah Bartholomew | art

Uma arte da Leah Bartholomew para cada cômodo da sua casa. Sim, por favor. :)

Achei especialmente interessante como cada pintura começa como uma pequena colagem de papel rasgado, um quebra-cabeça intuitivo de cores e sentimentos inesperados, que acabam tomando forma de acordo com o ambiente e o humor da artista. Leia mais sobre o processo de trabalho da Leah aqui (em inglês).

E veja mais lindezas da artista aqui

∴ info ∴
Leah Bartholomew website & instagram.

|

Os quatro últimos… filmes

Mini-resenhas dos filmes: Columbus e 150 Miligramas (La Fille de Brest)

Columbus (dir. Kogonada, 2017)

Jin viaja da Coreia do Sul para os EUA, para visitar o pai em coma. Lá, conhece Casey, uma jovem apaixonada por arquitetura, cuja vida gira em torno da mãe ex-viciada. Sobrecarregados pelo vínculo com os pais e pela incerteza em relação ao futuro, os dois encontram refúgio nessa nova amizade ~ e na arquitetura moderna e única de Columbus, Indiana. Um filme sensível e delicado sobre temas como separação, vínculo familiar e realização profissional. Especialmente interessante para quem curte arquitetura e para os obcecados por simetria: os takes milimetricamente planejados e harmônicos da Elisha Christian são maravilhosos. Gostei muito. Veja o trailer.

150 Miligramas (La fille de Brest, dir. Emmanuelle Bercot, 2016)

Em um hospital em Brest, na França, uma pneumologista estabelece uma ligação direta entre mortes suspeitas e o consumo de Mediator, um remédio indicado para pacientes diabéticos, que auxilia na perda de peso, no mercado há 30 anos. O filme é baseado na história real de Irène Frachon e na sua luta contra a indústria farmacêutica francesa (e o laboratório Servier) para provar que o medicamento era responsável pelo aparecimento de doenças cardíacas e pela morte de centenas de pessoas. Impossível não se empolgar com a força e a perseverança da médica, belamente interpretada pela dinamarquesa Sidse Babett Knudsen. Uma história de busca pela justiça, com uma heroína da vida real – como não se sentir positivamente afetado? E a diretora é a ótima Emmanuelle Bercot, que ganhou o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes em 2015 pela sua interpretação no ótimo Meu Rei, já assistiram? Veja o trailer.

Mini-resenhas dos filmes: O Castelo de Vidro (The Glass Castle) e Corpo Elétrico | Não Me Mande Flores

O Castelo de Vidro (The Glass Castle, dir. Destin Daniel Cretton, 2017)

Jeannette cresceu numa família de nômades excêntricos e não conformistas, no limite da pobreza extrema. Depois de adulta, ela relembra as suas desventuras e dos irmãos com a mãe artista e o pai alcoólatra, enquanto tenta se distanciar do seu passado disfuncional. O filme é baseado na história real da jornalista Jeannette Walls e no seu livro best-seller de mesmo nome. A temática é semelhante, em alguns pontos, a do filme Capitão Fantástico, mas sem a poesia e com muito mais dramalhão (duas das crianças, aliás, participaram de ambos os filmes). O que segura o filme são as atuações fortes, especialmente do Woody Harrelson como o pai abusivo e sonhador e da jovem Ella Anderson como Jeannette adolescente. Veja o trailer.

Corpo Elétrico (dir. Marcelo Caetano, 2017)

Elias é um jovem gay, de 23 anos, paraibano, que tenta equilibrar sua rotina como estilista numa confecção de roupas, com o universo pulsante da vida noturna da periferia paulista. O personagem transita entre o mundo do trabalho e o mundo dos prazeres, resistindo (e de certa forma se opondo) a valores como sucesso profissional e amor romântico. O filme, aliás, é liberdade afetiva e sexual pura. O Elias, interpretado pelo talentosíssimo Kelner Macêdo, é uma explosão de personas: doce, cativante, dedicado, debochado, sedutor… Me lembrou o Xavier Dolan no início de carreira. O filme prospera ao dar voz para o oprimido: operários, gays, negros, migrantes e imigrantes. Personagens tão cotidianos, mas tão pouco retratados no cinema nacional. Pelo menos não com tanta naturalidade e beleza. Veja o trailer.

Qual foi o último filme incrível que você assistiu?
Deixe a sua dica nos comentários. :)

|

Co Resort 2018

Co Resort 2018 Co Resort 2018 Co Resort 2018 Co Resort 2018 Co Resort 2018 Co Resort 2018

Uma das inspirações do Resort 2018 da Co foi o filme Amor à Flor da Pele, do Wong Kar-Wai (maravilhoso!). Deve ter sido por isso que eu bati o olho na coleção e gostei de cara. Que beleza!

∴ info ∴
Co website & instagram.
via Vogue.

|

Primavera_love

Primavera_love | Não Me Mande Flores

A Primavera só começa por aqui no dia 22 de setembro, mas a minha alma já está toda florida. 🌷💐 🌿

1. Gold, foto linda da Alleen via Flickr.
2. Depois da chuva, imagem da Lizzie via Unsplash (disponível para download gratuito).
3. Flores selvagens dos Alpes Suíços no instagram da Tezza.
4. Uma ode à Primavera e um wallpaper gratuito do The Jungalow.

|