TriXera Nutrition | Eau Thermale Avène

TriXera Nutrition | Eau Thermale Avène

Estou usando o novo TriXera Nutrition, a Loção Nutri-fluída da Eau Thermale Avène desde o comecinho do mês passado e vou contar para vocês um pouquinho do que eu estou achando. Trata-se de um hidratante com textura nutri-fluida, ou seja, ele é bem líquido e tem rápida absorção. Indicado para o cuidado diário das peles secas sensíveis, ele repara, nutre e acalma a pele, sem deixá-la pegajosa ou gordurosa. Do tipo que dá para aplicar depois do banho e se vestir imediatamente (meu tipo preferido!).

O produto contém Trio lipídico vegetal e Selectiose, que restaura a barreira cutânea da pele para um pele nutrida e hidratada por até 48h. Além, é claro, de Água Termal Avène, que acalma as peles secas irritadas e com rigidez.

TriXera Nutrition - Loção Nutri-Fluída | Eau Thermale Avène

Com relação ao perfume, eu quase não percebo fragrância nenhuma na hora da aplicação ~ e menos ainda após alguns minutos. Fiquei até na dúvida se o produto tinha mesmo perfume e fui conferir na embalagem, que diz “perfume leve e delicado“. É delicadíssimo mesmo, quase não perceptível, na minha opinião. Existe uma outra versão do produto, o Bálsamo, esse sim totalmente sem perfume, mas ainda não experimentei para fazer uma comparação.

Uma das coisas mais bacanas desse hidratante é que ele é indicado para o corpo E TAMBÉM para o rosto. Prático demais. Quase nenhum hidratante oferece essa dupla função e eu tenho achado maravilhoso hidratar o corpo e o rosto ao mesmo tempo. O produto é adequado para toda a família e crianças a partir de 3 anos estão liberadíssimas para usar. A campanha francesa do TriXera Nutrition explorou muito bem esse detalhe em várias animações fofas, como essa:

Estou adorando usar e recomendo demais!
Vocês já usaram algum hidratante da Eau Thermale Avène?

∴ info ∴
Eau Thermale Avène website & instagram.

|

Balzac Paris | JULHO 017

Balzac Paris | JULY 017 Balzac Paris | JULY 017 Balzac Paris | JULY 017 Balzac Paris | JULY 017 Balzac Paris | JULY 017 Balzac Paris | JULY 017

Encantada com a beleza e a simplicidade das peças da Balzac Paris, uma marca criada por três amigos ~ Charles, Victorien e Chrysoline ~ em 2011. 

∴ info ∴
Balzac Paris website & instagram.

|

Os quatro últimos… livros

Mini-resenhas dos livros: O Mundo Perdido e Os Invernos na Ilha | Não Me Mande Flores

1. O Mundo Perdido, por Michael Crichton – tradução de Marcia Men
título original: The lost world • Aleph

Seis anos depois dos acontecimentos terríveis no Jurassic Park, animais “exóticos” começam a aparecer no litoral da Costa Rica. O matemático Ian Malcolm e uma equipe de cientistas partem para explorar uma nova ilha, uma espécie de laboratório natural onde os dinossauros foram efetivamente criados. Esse segundo livro também é uma mistura de teorias científicas a respeito da extinção com uma aventura veloz de tirar o fôlego. Divertido demais. O consenso é que o primeiro livro é melhor, mas gostei especialmente de ver duas personagens femininas tão fortes e determinantes para a evolução da história dessa vez (a bióloga de campo Sarah Harding e a estudante Kelly Curtis). Manda mais Girl Power que tá pouco! ;)

 ∵ Amazon | Fnac | Livraria Cultura | Livraria da Folha | Saraiva | Travessa ∵

2. Os Invernos da Ilha, por Rodrigo Duarte Garcia
Record

Florian Links está à procura de exílio e paz. Ele desembarca num mosteiro, numa ilha isolada, fria e hostil na costa chilena, onde reencontra um amigo de infância e conhece um professor, envolvido na tradução de um diário de piratas holandeses do século XVI. Dividido entre a rotina monástica e a vida mundana, Florian precisa decidir o que é mais importante: a busca por si mesmo ou a busca por um tesouro perdido. O livro alterna passagens da vida na ilha com trechos do diário-pirata, instigando o leitor a querer desvendar os mistérios junto com os personagens. Mas confesso que me envolvi mais na primeira parte do livro, mais melancólica e introspectiva, do que quando a aventura efetivamente começou. Sinto que a introdução dos personagens Viviana e Jorge deu uma infantilizada na história e alguns acontecimentos surreais durante a busca ao tesouro foram um tiquinho “realismo fantástico” demais para o meu gosto. Mas é um romance de estreia bem interessante ~ curiosa para ver o que o autor vai lançar em seguida.

 ∵ Amazon | Livraria Cultura | Livraria da Folha | Saraiva | Travessa ∵

Mini-resenhas dos livros: Múltipla Escolha e Tarântula | Não Me Mande Flores

3. Múltipla Escolha, por Alejandro Zambra – tradução de Miguel Del Castillo
título original: Facsímil • TusQuets

Baseado na estrutura da Prova de Aptidão Verbal aplicada de 1966 a 2002 aos candidatos a vagas em universidades no Chile, Zambra constrói uma narrativa inclassificável e genial. O livro é uma prova de múltipla escolha com 90 questões, onde o autor passeia por temas como a relação entre pais e filhos, a desigualdade, a educação (e o sistema escolar) e a ditadura militar no Chile, entre outros. A estrutura brinca com a ilusão de uma resposta única e correta aos problemas da vida, um reducionismo extremo e perigoso, que limita o pensamento próprio (alô Pinochet!). Um livro cheio de humor, delicadeza e uma certa tristeza. Fiquei impressionadíssima e quero ler mais Zambra (dizem que o “Formas de Voltar para Casa” é excelente). 

∵ Amazon | Fnac | Livraria Cultura | Livraria da Folha | Saraiva | Travessa ∵

4. Tarântula, por Bob Dylan – tradução de Rogério W. Galindo
título original: Tarantula • TusQuets

Tarântula não é necessariamente um livro, é uma espécie de extensão do trabalho de Bob Dylan, um volume de difícil definição e que, provavelmente você vai: gostar, caso esteja tenha simpatia e admiração pelo universo artístico do autor/compositor – ou achar estranhíssimo, caso contrário. Com uma estrutura irregular, que alterna prosa poética e poemas em verso, a coleção de textos é pura vanguarda. Escrito na primeira metade dos anos 60 e editado pela primeira vez em 1971 (depois de muitas cópias piratas circularem nos EUA), o livro possui um teor profundamente crítico e subversivo, amarrado numa narrativa intrincada e, definitivamente, desafiadora. Recomendo dar uma folheada antes de comprar ~ para não se decepcionar e acabar engrossando o coro dos que não aprovaram o seu Prêmio Nobel de Literatura no ano passado. ;)

∵ Amazon | Fnac | Livraria Cultura | Livraria da Folha | Saraiva | Travessa ∵

O que vocês têm lido de bom ultimamente?
Confira outros títulos na Bibliolove – a biblioteca virtual do blog!

|

Verde Mirror | Rikke Frost

Verde Mirror by Rikke Frost | via Woud

O Espelho Verde é um projeto da designer Rikke Frost, para a dinamarquesa Woud. Ele foi inspirado nos móveis de metal da década de 50 e possui uma prateleira na parte de cima, espaço ideal para plantas e outros objetos pequenos (e decorativos). Outros destaques são os recortes na lateral da prateleira, que permitem a inserção de cabides para roupas, e a alça de metal, que funciona como um terceiro braço e pode ser usada para pendurar objetos e roupas. Lindo, prático e funcional.

∴ info ∴
Woud website & instagram.
Rikke Frost website & instagram.

|

Marcelo Monreal para Damyller

Marcelo Monreal para Damyller | Isabeli Fontana fotografada por Nicole Heiniger, com styling de Pedro Sales. Marcelo Monreal para Damyller | Isabeli Fontana fotografada por Nicole Heiniger, com styling de Pedro Sales. Marcelo Monreal para Damyller | Diego Miguel fotografado por Nicole Heiniger, com styling de Pedro Sales. Marcelo Monreal para Damyller | Isabeli Fontana fotografada por Nicole Heiniger, com styling de Pedro Sales. Marcelo Monreal para Damyller | Isabeli Fontana fotografada por Nicole Heiniger, com styling de Pedro Sales. Marcelo Monreal para Damyller | Isabeli Fontana fotografada por Nicole Heiniger, com styling de Pedro Sales.

Todo o surrealismo e a arte botânica do Marcelo Monreal para a Damyller Verão 2018. 🌷🌿

As obras do artista, que unem pessoas e flores, são baseadas em uma história da sua infância: “Um dia, minha mãe pediu para que eu não corresse muito porque eu poderia cair e me machucar. Como era uma criança agitada, todas as vezes que eu me machucava, perguntava para minha mãe: “Do que as pessoas são feitas? E ela me respondia: de flores”.

Os modelos Isabeli Fontana e Diego Miguel foram fotografados pela Nicole Heiniger, com styling de Pedro Sales.

∴ info ∴
Damyller website & instagram.
Marcelo Monreal instagram.
Nicole Heiniger website.
Pedro Sales instagram.

|